sábado, 27 de março de 2010

Currahee

Quem me conhece, sabe: eu sou fanático por História - e o meu assunto preferido nisso é a Segunda Guerra Mundial, com certeza. E foi essa minha curiosidade que me levou a ver, primeiro, a série (e isso já faz um tempo) e, agora, a ler o livro Band of Brothers - o primeiro, produzido pela HBO e o último, escrito por Stephen E. Ambrose.
Ambos contam a história da Companhia Easy do 506º Regimento de Infantaria Pára-Quedista da 101ª Divisão Aerotransportada do Exército Americano durante a Segunda Guerra Mundial. Os dois começam com o treinamento da companhia no Centro de Instrução Militar de Toccoa e a acompanha até a sua última missão na Guerra, a tomada de Berchtesgarden e de Aldershorst, o Ninho da Águia, uma das moradias preferidas de Hitler - passando pela Normandia no Dia D, Holanda Bastogne (Bélgica), e um campo de concentração na Alemanha.
A série é simplesmente fantástica: ocupa, com certeza, a posição de melhor série que eu já vi até hoje. Tanto que, pela primeira vez na vida, eu achei que, no geral, a série/filme/etc é melhor que o livro em que foi baseada - e isso, acreditem, vindo de mim quer dizer muito.
O que contou para que a série fosse melhor que o livro, em parte, foi o fato que este não foi escrito como um romance ou uma história, se é que me fiz entender. É um livro de História (com agá maiúsculo mesmo), que conta detalhes dos fatos, misturando documentos - quase na totalidade cartas do praça Webster - e depoimentos dos envolvidos - principalmente do Tenente/Capitão/Major Winters (o soldado mais foda que o mundo já conheceu, com toda a certeza).
Devido ao livro ser assim, você perde um pouco da emoção da história e se envolve menos com os personagens dela, o que não acontece com a série, claro. Como se trata de um material audio-visual, é lógico que apele mais para emoções que com a acuracidade com o que de fato aconteceu. Um exemplo disso é a descoberta do campo de concentração, muito explorada na série, enquanto no livro são dedicadas menos de 20 linhas para isso.
É claro que a série tem alguns erros históricos e algumas simplificações, para facilitar o desenrolar da mesma, mas isso de forma alguma chega a compromete-la. Para quem quer saber o que aconteceu de fato com mais precisão, recomendo fortemente o livro, embora a série já tenha uma boa narrativa dos fatos.
E agora a HBO, de novo junto com o Steven Spielberg e o Tom Hanks - produtores de Band of Brothers - lançou uma nova série sobre a Segunda Guerra: The Pacific, que, como o nome já diz, conta a história da guerra no Teatro de Operações do Pacífico. Acredito que essas duas séries vão contar a história da Segunda Guerra de uma maneira definitiva.

6 comentários:

  1. excelente produção, mostra como é o desenrolar de uma estratégia de guerra onde busca o dominio das linhas inimigas e tambem com um corpo de soldados que buscam perfeição para tal prova de vida e resistencia principalmente a de si mesmo. contudo em uma guerra "PERDE-SE MUITAS VIDAS PARA QUE POSSA SALVAR MILHARES DELAS". gostaria de ter o livro impresso onde poderei comprar?

    ResponderExcluir
  2. Sou tbem um grande interessado pela Segunda Grande Guerra, desde menino, lendo Seleções Read Digest, ísto em 1950, com números da guerra , já que meu pai, americanófilo (hehehe), era assinante, lembro até hj os aviões, faziam propaganda deles nas Seleções, as revistas Combate,as lí, muitas. Esta série, Bande of Brothers , só agora descobrí , em uma locadora, a cor sépia, nada colorido demais, artificial, concordo, a melhor história em filmes , o desenrolar (droller), as estratégias, os airbones, o realismo, os dramas, conflitos, os novatos x esperientes, eram americanos do interior, em sua maioria, enfrentando Panzers, Tigers, SS, esta ´serie é fantástica, ainda irei conhecer a Normandia, as casamatas. Parabéns pelo bom gosto, conhecí soldados da Segunda Guerra, e um senhor português que lutou na Primeira Grande Guerra, este encontro foi em Poços de Caldas, emocionante o relato da guerra de trincheiras, êle era já velhinho, chorei, acredite amigo!!.Saudações.

    ResponderExcluir
  3. Caaaramba, adoro historia da segunda gueeerra , e sou alucinada pelo Winters ele era muuuuuuito paaaaaaaaaaaau. ELe atuou muuito bem em toda a Guerra. Se não fosse por ele, concerteza a Easy estaria morta nas mãos de Sobel( embora ele tenha preparado super bem o povo ne? ) isso é fato. Fiquei super triste quando spube que Winters tinha morrido ;x

    ResponderExcluir
  4. Filmes e documentários de guerra sempre me interessaram muito. Não tenho conta de quantos filmes possuo. Band of brothers e The pacific certamente encabeçam minha lista. Excelentes produções...impecáveis! Recomendo muito.

    ResponderExcluir
  5. Animal, o livro tem de ser melhor que a série, a história romanciada é para a venda, mas esses caras fizeram história através da realidade, se vc quer se prender a romances que te fazem inflar e sonhar no sofá, que seja de bom grado, porem, é com a história intega e oficial que se sabe dos acontecimentos.
    Se vc não tem maturidade para ler e entender livros oficiais, não os critique. Existem diversos outros livros que abordam sobre a 101ª Companhia americana, até os Red Devis canadenses e a SS, porem em sua maioria são oficiais.

    Sou formado em História e acredito que não exista melhor forma de se saber história, há ouvir os proprios pracinhas contando, isso se chama História Oral, corra! ainda existem brasileiros da FEB vivos, quem saiba vc escute o quanto o Brasil tbm tem história, sabe? Aquela não romantica.

    ResponderExcluir