terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Gentileza gera gentileza

Às vezes eu me assusto com o mundo e quase perco a fé na humanidade pelas menores coisas. Um gesto, uma palavra, um pequeno ato de hostilidade gratuita. Mas o que mais me assusta é a receptividade de gestos bons, amáveis, pelas pessoas: é comum, e muito, se assustar e estranhar quando alguém age com o mínimo de bondade ou de honestidade. E eu, sinceramente, não consigo entender. Ou pelo menos não deveria.
Até eu, admito, que me surpreendo quando vejo gestos bons e gratuitos. Parece que a gente tá acostumado a esperar sempre o pior do outro, a sempre desconfiar e contar com o golpe pelas costas que quando alguém não age assim é estranho e causa até um certo desconforto. Porque, afinal de contas, atos inesperados sempre geram estranheza - por melhores que sejam.
Estes dias foi que eu entendi o que falta: gentileza. Uma palavra tão simples que, entretanto, engloba tudo o que a gente mais precisa - educação, delicadeza, cortesia. E, como disse o profeta, gentileza gera gentileza. Às vezes, basta um pequeno gesto gentil pra fazer o outro se sentir bem, por pior que tenha sido tudo até ali. Não só o outro, faz bem pra si mesmo também.
Eu sinto falta, por exemplo, de coisas simples, de gestos que todo mundo deveria fazer e quase nunca faz - geralmente por não se dar a devida importância pra eles. Basta começar dizendo "bom dia", "obrigado" ou "por favor" - bem como a tua mãe deve ter te ensinado. Ceder a vez no trânsito - prática muito pouco comum aqui em Curitiba, por exemplo -, não vai te atrasar quase nada e ajuda o outro. Até sorrir pode mudar o dia de alguém.
Mas claro: não se deve confundir gentileza com servidão, apatia. Se alguém te faz mal, claro que se deve reagir, sempre se deve deixar claro o que foi que te fizeram. Mas sem rancor, sem maldade, sem ser desproporcinal. Não é fraqueza tentar ser gentil com quem não é - e nem sempre é desperdício.
Eu acho que é preciso pouca coisa pra que tudo seja melhor, para que as pessoas sejam mais felizes e possam tratar bem uns aos outros. Gentileza, gente... gentileza!

6 comentários:

  1. Eu não entendo porque algumas pessoas relutam em ser gentis. É muito mais fácil sorrir e pedir educadamente do que começar uma briga por coisas pequenas que normalmente acabam com o dia de qualquer um.

    ResponderExcluir
  2. Você não merece minha gentileza. *hunf*


    ;*

    ResponderExcluir
  3. O espirito natalino do Gu é rabugento, Raquel. (:

    ResponderExcluir
  4. Sorrir de volta é uma coisa sempre boa. Tem coisa mais bonita do que gente disponível?!

    ResponderExcluir
  5. Belo post! É disso que precisamos mesmo.
    É claro que meu comentário não acrescenta em nada, mas... quis fazer a gentileza! :]

    ResponderExcluir