sábado, 26 de setembro de 2009

Temporada das Flores

Uma das coisas que todos deveriam ter direito por lei - e até, talvez, devia ser uma obrigação - era se perder de vez em quando. É sério! Há certas épocas na vida que tudo o que se precisa é largar mão de tudo e deixar o que sobrou ir no ritmo que melhor entender, sem forçar ou apressar nada. Às vezes o melhor é se sentir alheio a tudo.
Bom. Eu acho que estou acabando de sair de um momento desses na minha vida. Depois de tanta merda tantos problemas e ter feito tanta coisa errada, eu tive que me permitir um tempo pra nada. nada mesmo, sem ter qualquer tipo de pressa em resolver as coisas. Na verdade, eu deixei que tudo se resolvesse sozinho e eu estava decidido a não mexer um dedo pra ajudar.
Por isso que eu larguei essa bosta aqui o blog ficou meio abandonado por um tempo: eu não tinha cabeça (e olha que pra eu não ter cabeça pra alguma coisa é difícil, vide o pequeno tamanho da mesma) pra pensar em coisas que fossem alheias a mim mesmo. É sério: se eu já era intimista, neste tempo passei a ser mais ainda - e não queria que o que tivesse dentro saísse e/ou o que tivesse fora, entrasse.
Aqui estou eu de novo, depois de ter passado um tempo no espaço. Volto ao que eu era antes e talvez até melhor: aprendi muito sobre mim mesmo nesses dois meses. Apesar de não estar muito feliz com o nome do blog ou com o layout dele, to aqui de volta e dessa vez é de verdade.

Ps: nunca façam nenhum tipo de análise de alma. Nunca dá certo e você acaba descobrindo coisas que você não queria saber sobre você mesmo. É sério!