sexta-feira, 19 de junho de 2009

Sobre discussões, polêmicas e divergências

Eu sempre gostei de participar de discussões intermináveis - geralmente feitas na madrugada e/ou em bares - sobre quaisquer assuntos, especialmente os mais polêmicos. Tenho uma certa sorte por sempre ter a minha volta pessoas com as quais eu posso discutir tudo - de ciência a religião, de futebol a política - e que, felizmente, têm opiniões distintas da minha. Sinto um especial prazer em discutir sobre algum assunto que eu tenha opinião formada - o que não quer dizer, claro, estática e imutável - com alguém que tenha uma opinião radicalmente oposta à minha e que saiba argumentar a favor dela, e não simplesmente ataque a minha opinião - ou, pior ainda, ataque a minha pessoa em vez de discutir argumentos.
Como quem acompanha o blog deve ter percebido, quase todos os posts mais recentes de opinião sobre política e/ou ideologia que eu posto aqui, acaba saindo uma discussão um tanto acalorada nos comentários entre eu e o Balão, um estudantes de história da UFSC. Temos um amigo em comum - que é da minha cidade e estuda com ele - que, aliás, apresentou lhe apresentou o blog, justamente porque eu queria mesmo que houvesse uma discussão nos comentários. Não sabia eu que tão ferrenha, digamos assim. Mas, sinceramente, acho até melhor assim: discutir muito superficialmente não tem a mínima graça. Quanto mais dedo em riste e socos na mesa, melhor - desde que não passe disso, claro.
Temos visões de mundo opostas na maioria dos pontos: direita versus esquerda; reaça versus comuna. Visões que, na minha opinião - eu sempre tendo a acreditar que as pessoas são boas e que querem o melhor pra todo mundo até que elas me provem o contrário, o que talvez seja ingenuidade da minha parte -, no nosso caso, teriam o mesmo fim: um mundo melhor e mais justo. No que a gente difere, e muito, é o caminho que cada um acha o certo pra chegar lá. Talvez um dos dois esteja enganado, talvez nenhum. O mais provável, aliás, é que os dois estejam parcialmente enganados - o ideal seria um caminho do meio, com características dos dois lados, vai saber! Mas, no momento pelo menos, eu acredito em tudo aquilo que escrevi aqui. Se alguém me convencer do contrário, vou começar a escrever o oposto - mas sem apagar o que já foi dito.
Aliás, eu não me considero um reaça. Costumo brincar, dizendo que o sou, porque eu acredito em algumas coisas que certas pessoas julgam reacionárias - o que eu acho que não são. Não saio defendendo valores do passado, como se os bons tempos sejam aqueles que já passaram: acredito que o mundo está melhor do que antes e vai melhorar, aos poucos, cada vez mais. Acho até que por eu trabalhar com ciência é que eu não combino com reacionarismo (está certo isso?). Não se pode ser reacionário se você busca descobrir coisas novas. Sou direitista, sim. Mas não reacionário. E estou aberto a discussões sobre tudo isso. Tentem me convencer do contrário - mas já aviso, de antemão, que sou teimoso pra burro!
Como eu disse no começo deste texto, eu adoro discussões. E quanto mais polêmicas, melhor. Mas sempre evito deixar o assunto discutido e fazer ataques pessoais, como acredito que fiz nesse caso, com o Balão. E como reconheço que ele fez: atacou as minhas ideias, o meu texto - jamais a mim. Não tenho problema nenhum em conviver com pessoas com ideologia como a dele - aliás, tenho grandes amigos com ideias parecidas. Algumas vezes considerei bobagem o que ele disse e deixei claro - como espero que ele faça. Não concordo com a maioria das coisas que ele fala, mas (CLICHÊ ALERT!!!) defendo o direito dele falar - o que não quer dizer que não vou tentar convencê-lo do contrário.
Agora, respondendo diretamente ao Balão, não é uma questão pessoal e eu nunca quis nem tentei levar para este lado. Aliás, como você disse no seu último comentário, se você acabar criando um blog próprio, terá um comentarista frequente - mas já aviso que com comentários nos mesmos moldes que os teus aqui, ou seja, contestando o que eu achar que devo - e colocarei o link aqui do lado com prazer.

5 comentários:

  1. saco....
    e o sangue jah tava quase voando
    =/

    ResponderExcluir
  2. Discordo.

    Faz um post pra mim agora \o/

    ResponderExcluir
  3. =D
    Lisonjeado pelo post.
    Nunca disse que você era reaça (pelo menos não aqui no blog, hehe), mas vamos ao que eu entendo por reacionário.
    Pra começar reacionário vem da palavra "reagir", assim reaça é aquele que reage contra a movimentos sociais, com embasamento conservador, defendendo a estabelidade das coisas, do status quo. No mais básico da física, o reacionário é aquele que reage a uma ação de mudança, não sendo esta necessariamente a "revolução", como alguns gostam de conceituar.

    Concordo contigo, o embate de idéias com pessoas de posição contrária, desde de que não entrem no ataque pessoal são sempre interessantes.

    Quem sabe nas férias eu faço o meu blog.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Discordo.

    Faz um post pra mim agora \o/ [2]

    ResponderExcluir