sábado, 27 de junho de 2009

Banzo

Dizem que Casa não é exatamente onde você mora, o lugar, a construção, e sim um estado de espírito. Que, se você está bem consigo mesmo, não importa onde esteja, este lugar sempre será a sua casa. Tenho que discordar disso, em partes pelo menos: Casa, pra mim, é também o lugar - país, cidade, bairro, casa ou, sei lá, quarto - em que você tem aquilo que precisa pra se sentir bem consigo mesmo; o lugar onde você possa se sentir em casa.
Sinceramente, acho que encontrei este lugar. E talvez só tenha percebido quando deixei ele - só por um tempo, felizmente. Não que onde eu esteja agora seja o pior lugar do mundo ou, sequer, pior do que lá - todos os dois tem defeitos graves e pontos positivos distintos - mas o fato é que aqui eu não me sinto em casa.
Apesar de ter conhecido muita gente interessante, muita gente que agora gosto muito, aqui não é o meu lugar. Não é aqui que eu conseguiria viver a minha vida. E tudo gira em torno, principalmente, das pessoas que eu conheço lá: posso dizer que nunca vou ter amigos como tenho, esperando por mim, na minha casa. Difícil encontrar almas em sintonia tão fina com a minha - talvez até tenha encontrado algumas perdidas por aqui, que me deixariam feliz se estivessem lá, na minha casa. E até já tenho alguns nomes que poderiam trocar de lugar com eles.
O fato é que eu amo aquela cidade - e quem ama, não dá importância aos defeitos. É lá que eu me sinto bem. Eu adoro aquele céu cinza, aquele frio congelante - do clima e das gentes. Eu não consigo viver muito tempo longe, não sem doer o meu peito como se esmagado pelo pé de um ser humano por um peso insuportável. Eu amo as pessoas que vivem comigo lá, que estão sempre ao alcance das minhas mãos sempre que eu precisar.
E agora eu estou voltando. Não via a hora.


PS: Claro que existem aquelas pessoas que escolheram (de uma forma ou de outra) viver longe de lá. Mas se tratam de casos especiais. São aquele tipo de amigo que me faz feliz, me faz melhor, me dá força só de saber que eles existem. Por mais que cada um deles viva a milhares de quilômetros me mim, saber que eles existem já me traz alívio a alma.

5 comentários:

  1. que bonito :) bem vindo de volta!

    obs: "pelo pé de um ser humano" HAHAHAHAH

    ResponderExcluir
  2. gente, isso tudo é saudade minha? \o/\o/

    alias, o pé do ser humano me fez rir alto.

    ResponderExcluir
  3. Aninha: se é saudade sua, não sei. Mas posso dizer de quem, certamente, não é. HAUHAUH

    :x

    ResponderExcluir
  4. HAEUIEAHAUEIHAEIUEAHUIEAHUAEIHEAUIAEUIAE

    Uma bala pra você me contar.




    Ah, não, eu também sei. =P

    ResponderExcluir