quinta-feira, 16 de abril de 2009

Eles Estão Chegando! Parte I - Invasão e Fuga

No dia 14 de outubro do ano passado, uma boa parte da humanidade teve uma grande decepção: os ETs, que, segundo a canalizadora (?) australiana Blossom Goodchild, deveriam, enfim, fazer contato com os humanos, não vieram. Decepção para os que acreditaram na história e decepção para os, e me incluo nesse caso, que não acreditaram mas que torciam para que fosse verdade. Mas talvez tenha sido melhor pra gente. Aquele papo deles de que "nós não viemos para dominar", "nós viemos para ajudar o seu mundo" e que "é por amor que viemos" soava um pouco estranho pra mim, mais ou menos como se alguém, apontando uma arma para a sua cabeça, te dissesse que estava fazendo aquilo por amor. Esses ETs, muito preocupados com o fato de estarmos destruindo o nosso planeta, viriam para nos ajudar. Sinal de que a Terra seria, por algum motivo, importante pra vida deles - seja porque eles precisam, de alguma forma, da gente, seja porque a Terra está incluída no plano de dominação universal da Federação da Luz.

Olha a Federação da Luz aí, gente!!

Já se passaram mais de seis meses (caralho! Passou rápido) desde o dia em que faríamos contato e até agora, nada. O que será que aconteceu? Seria Blossom Goodchild uma menina má (desculpem a piadinha cretina) que tirou uma com a nossa cara porque queria os seus 15 minutos de fama? Terá sido tudo um trote de uns alienígenas sacanas? Será que o pedágio da via expressa intergalática não aceitava amor como pagamento? Ou esta história inteira terá sido um estratagema dos ETs, simulando uma visita para ver como nós nos prepararíamos e, então, planejar a real invasão alien na Terra? Se esta última alternativa for a correta, o melhor é que estejamos preparados para enfrentá-los! E, baseado em inúmeros livros de ficção científica e filmes de extraterrestres, podemos compilar os dados em um manual de sobrevivência a ETs.

Bom, antes e acima de tudo, existe uma regra básica na vida e, principalmente, quando lidar com alienígenas: nunca, em momento algum, se separe da sua toalha. Você pode precisar dela para uma luta corpo-a-corpo, para se aquecer a noite - afinal, como deixarei claro em breve, o melhor é fugir das cidades -, para sinalizar a sua presença para algum grupo de humanos ao longe ou, é claro e mais importante, enrolar em volta da sua cabeça para se proteger da Terrível Besta de Trall, que obviamente estará junto com os aliens.

Nuvens negras, grandes e contra o vento são um mau sinal

Esteja atento aos sinais de uma invasão alienígena: nuvens negras, com grandes extensões e se movendo contra o vento são indícios fortes de que há uma invasão em curso. Raios caindo repetidamente num mesmo lugar, também. Se alguma coisa parecida com isso acontecer, corra. Fuja, o mais rápido que puder, da cidade e de qualquer sinal de civilização. Afinal, os ETs querem nos desitruir ou nos sequestrar, usando-nos como combustível em suas naves, cobaias para os seus experimentos mais estranhos e doloridos ou, para os que tiverem sorte, bichinhos de estimação. E para isto, irão nos procurar onde é mais fácil de encontrar: primeiro nas grandes cidades, nas cidades menores e, por último, em casas de fazendas distantes.
Na hora de fugir da cidade, leve somente o essencial: comida e água para alguns dias, roupas para frio, o maior número de armas possível (as armas serão abordadas mais à frente) e, é claro, sua toalha - nunca, em hipótese alguma, esqueça a sua toalha. E deixe o seu carro em casa, ele vai te atrasar. Afinal, todos - tirando alguns idiotas que estão dando boas-vindas aos aliens - estão tentando fugir o mais rápido que conseguir. Se durante um feriado, onde nem todas as pessoas saem das cidades ao mesmo tempo, o transito já vira um caos, imagine numa situação dessas. O melhor a fazer é encontrar uma moto - e, na falta desta, uma bicicleta - e evitar usar as estradas principais, onde os ets, mais cedo ou mais tarde, irão caçar os serumano.
Que fique bem claro: ao menor sinal de uma invasão alienígena, fuja da cidade e vá para um lugar totalmente isolado da civilização: onde tem gente, vai ter ets. Em hipótese alguma, espere que os ETs vieram para nos ajudar: se fosse assim, eles mandariam algum sinal, alguma mensagem direta ao povo da terra e, é claro, não existiria nenhuma nave gigantesca sobre as nossas cabeças. Isso é uma invasão, não uma visita! Não se junte aos futuros primeiros vaporizados, que esperarão com cartazes de boas-vindas no altos dos prédios. Fuja, corra, vá o mais longe possível das naves. E se prepare para, primeiro, sobreviver. E, depois, contra-atacar.


3 comentários:

  1. Alienígenas bonzinhos? Pfff...

    Quando você passa ao lado de um formigueiro é mais provável que pise nele ou que lhes dê tecnologia?

    Pois é...

    Outros sinais são uma onda de calor ou de frio repentina, duradoura e sem explicação; interferências em sinais de rádio e TV e mudanças de comportamento de muitos conhecidos, mais ou menos ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. BETOCARI@YAHOO.COM.BR16 de abril de 2010 20:28

    EU ACREDITO QUE OS ETS JA NOS VISITARAM MUITO ANTES DE SERMOS CIVILIZADOS, E QUE COM ELES TEM A TECNOLOGIA DE VIAJAR A VELOCIDADE DA LUZ, ELES NOS VISITAM DE TEMPO EM TEMPO SÓ PARA VER A NOSSA EVOLUÇÃO COMO VAI. PORQUE A INVASÃO DEVERA ACONTECER PARA EVITAR QUE ALCANCEMOS O CONHECIMENTO A FIM DE POR ELES EM PERIGO.

    ResponderExcluir