quinta-feira, 19 de março de 2009

Vida em Standby

O grande problema destes cinco meses que eu vou passar aqui em São Carlos (Prometo que vou tentar parar de falar sobre isso aqui em breve) é que eu tive que colocar a minha vida numa espécie de standby, num período de latência. Porque eu não posso continuar fazendo o que eu estava fazendo em Curitiba, pelo simples fato de eu não estar lá e nem posso (ou não quero, ou tenho um certo medo de) começar coisas novas por aqui. 
De certa forma, eu tive que abandonar os planos (pessoais, principalmente) que eu tinha por esses cinco meses. Eu não estou por perto, e, por isso, não posso cobrar das pessoas a mesma retribuição (digamos assim) que eu teria caso estivesse por lá ainda. E eu nem posso ter novos planos por aqui, afinal eles teriam que se resumir a planos de cinco meses - e eu tenho uma séria dificuldade pra planejar coisas que durariam pouco. Eu tenho um certo medo, por exemplo, de conhecer pessoas e me envolver com elas, criar laços. Porque eu sei que, daqui a cinco meses eu tenho que ir embora e deixar tudo pra trás. E, por mais que, na hoar de ir embora eu não queira, isso não é uma opção - seria uma puta sacanagem com o pessoal de Curitiba e principalmente com o meu orientador de lá.
Se eu tivesse vindo pra cá pra morar, definitivamente ou pelo menos por um período mais longo - uns 2 anos ou mais - eu provavelmente teria bem menos problemas. Já estaria tentando me adaptar à cidade e às pessoas. O que me complica a vida é esta coisa de ser tudo provisório. É o que me faz ficar contando os dias até poder voltar pra Curitiba e continuar a minha vida de onde ela parou - só espero que ela me espere até lá.

Um comentário:

  1. Você não consegue parar de falar disso pq vc me ama e morre de saudade de mim.

    mas desencana, ok, não te quero. AHEUIAHEUIAEAUIAHEUIAHAUIAHEUIEHUIAEHUIAE

    vê se volta logo, cabeçudo.

    ResponderExcluir