domingo, 22 de fevereiro de 2009

Apenas palavras

Existem palavras e aquelas palavras que você torce para que tenha a oportunidade de usa-las nas frases. Eu mesmo, tenho uma lista um tanto grande de palavras que, assim que eu uso, eu acabo exclamando que "eu sempre quis usar essa palavra!". Mas também existem palavras horríveis, que me dá um ruim só de falar elas. Enfim, segue uma lista de 5 palavras que eu sempre uso quando minimamente possível e a palavra que eu considero a mais feia da língua portuguesa.

- Epifania

Epifania é muito mais do que uma simples revelação. É um momento em que todos os seus problemas, quiçá o mundo inteiro, perde aquele véu de mistério que existe nos outros momentos. Não é possível nem quantificar o quão revelador é uma epifania a não ser que eu tivesse uma enquanto escrevia isso. Não tive.

- Supimpa

Não existe qualquer palavra que demostre o grau de legalzice de alguma coisa como Supimpa. "Legal", "massa" ou "tchubaruba" não chegam aos pés de Supimpa. Quando alguém fala esta palavra é como se o céu abrisse e iluminasse o cidadão, enquanto um coral de anjos cantam a mais bela das melodias.

- Quiçá

Uma palavra que não existe como explicar a emoção de utilizá-la. Se for acompanhada, então, de uma volta no ar com o dedo indicador levantado, é deveras impactante durante um discurso. Durante uma discussão, tem o peso do melhor dos argumentos possíveis.

- Deveras

Para destacar ou afirmar a veracidade de algo, não existe nenhuma palavra como o deveras. Após um deveras, qualquer frase ganha tons de verdade absoluta. Contra um deveras não existe argumentos.

- Perspicaz

Dizer que alguém é inteligente, esperto não é suficiente às vezes. Nessas horas, só é possível demonstrar o quão inteligente é a pessoa com um "perspicaz". Pode ser substítuído, para não se tornar tão repetitivo - embora com um peso menor - por um "sagaz". Mas não é a mesma coisa.


- Garfo

Garfo. A pior palavra da língua portuguesa. Nem mesmo "ceborréia", "gonorréia", "leucorréia" ou qualquer outra terminada com "réia" é tão feia quanto garfo - a palavra, não o que elas significam. É impossível para qualquer frase que contenha a palavra - me recuso a escrevê-la novamente - tenha qualquer beleza.

2 comentários:

  1. Eu que ajudei ele a escrever esse post! (2)

    HAHAHA

    Muitos comentários a tecer:

    - Deveras SAGAZ sua escolha para a última palavra, após minhas malsucedidas, porém bem-intencionadas, tentativas de sugerir A palavra;
    - "Quiçá" PEDE a volta do dedo indicador no ar para ser utilizada em toda sua magnificência;
    - "Quão" é uma palavra deveras impactante, também;
    - Realmente, durante uma discussão, nem a força bruta é capaz de argumentar contra um "quiçá" e um "deveras".

    Deveras supimpa este seu post. Quiçá, o mais PERSPICAZ que eu já li aqui. hahaha

    ResponderExcluir
  2. Eu não tenho problema com garfo, mas se tem uma palavra que eu não gosto é virgem. a despeito de ser uma palavra muito usada em poesias, não vejo modo de ficar bonito qqr coisa que se utilize dela. E faltou minha palavra quase preferida: inenarrável.

    ResponderExcluir