sábado, 10 de janeiro de 2009

Deus não é surdo!

Se tem alguma coisa que me deixa irritado são pessoas que não aceitam que as outras possam ser diferentes delas. E nisso entram fundamentalistas religiosos, fanáticos por times de futebol, extremistas de esquerda ou direita, entre muitos outros casos. Mas o pior de tudo, pra mim, são os fundamentalistas religiosos, que, além de não aceitarem a crença - ou a falta de crença - dos outros, ainda manipulam e distorcem a sua própria para justificar esta intolerância. Os outros são assim só porque são idiotas. Não que os fundamentalistas não o sejam. Mas, adiante.
Existem fundamentalistas em quase todas as religiões - talvez só escapem as religiões do oriente, como o Budismo e o Taoísmo. Nestas, aliás, é muito difícil existir extremistas, uma vez que elas pregam mesmo o equilíbrio, a suavidade. Mas volto ao assunto. O caso mais famoso ultimamente é o fundamentalismo islâmico, com seus homens-bombas, seus mísseis em direção a Israel e o seu ódio profundo pela sociedade judaico-cristã-ocidental-capitalista. Mas existem fundamentalistas também no cristianismo, como acontece principalmente na Inglaterra, onde de vez em quando há um certo confronto entre Católicos e Protestante - em que um grupo sequer aceita a convivência com o outro.
Existe até um certo fundamentalismo ateu. E este caso, pelo menos no Brasil, é voltado com quase exclusividade a Igreja Católica, em que estes indivíduos condenam tudo o que vem da mesma - que, lógico, tem as suas falhas e, por que não?, as suas virtudes - e se esquecem que não reconhecem para os outros a mesma liberdade que querem para si mesmos: a liberdade de escolher no que acreditar, ou não.
Mas nenhum tem tanto impacto na minha vida como o fanatismo evangélico - os famosos crentes e frequentadores das Assembleias de Deus ou da Universal do Reino de Deus. Afinal, pessoas que vêem o Demônio em todos os cantos e em quaisquer atitudes que você tenha são completamente irritantes e atrapalham a vida de muita gente. Além disso, tem a famosa gritaria que envolve os seus, digamos, ritos religiosos. Ainda mais quando eles resolvem sair de dentro de suas igrejas gigantescas e, com certeza, caríssimas.
Explico: o prédio onde eu moro aqui em Curitiba é na mesma quadra de uma dessas igrejas da Universal e, praticamente embaixo da janela do meu apartamento - que é no sétimo andar e é voltado para os fundos - existe um dos, acho, três estacionamentos desta igreja. E no ano passado que começou a putaria: pelos idos de Janeiro do ano passado, algum pastor infeliz desta igreja teve a grande ideia de fazer o culto não mais dentro da igreja mas sim em um dos estacionamentos, não sei se por causa do calor ou para tentar conseguir mais fiéis quase que na marra. Aí foi que os Ázarons agiram contra mim: adivinha qual foi o estacionamento escolhido? Então.
Foram dois dias de cultos no estacionamento: um que começava as 18:30 e ia até as 19:30 e outro que começava as 20:30, também com duração de uma hora. E tinha de tudo nestes cultos: até sessões de descarrego. Mas, como o pessoal do prédio começou a jogar coisas neles durante o culto - e infelizmente eu não me incluí neste grupo, por falta do que jogar - só aconteceram estes dois dias. Ainda bem.
Mas agora eles voltaram com força total e sanguenozóio: hoje aconteceu a mesma coisa, com a pequena diferença de que o horário do culto era as 8:30. É, da manhã! De um Sábado! Hoje eu fui acordado ao maravilhoso som de um dos pastores - acho - cantando uma das músicas no estacionamento, no volume máximo. Só deu tempo de levantar, olhar pela janela e ver aquela multidão entrando no estacionamento correndo e cantando/gritando a música. E de pensar "Puta que pariu! Deus não é surdo, porra!" antes de entrar em desespero e deitar em posição fetal, com a cabeça debaixo do travesseiro, tentando abafar o som. Em vão.

2 comentários:

  1. bom, agradeça por ai ser só uma igreja. afinal, onde é que todos os politicos/manifestantes/minorias oprimidas/igrejas/seilámaisoque resolvem fazer seus shows e barulhos?
    do lado da minha janela. é nesses dias que eu odeio com toda a minha força o centro cívico.

    ResponderExcluir
  2. sintam inveja os dois, eu moro num bairro de chácaras e tudo que eu escuto são passarinhos cantando.

    mentira, tem tbm a estrada que passam caminhões.

    :p

    ResponderExcluir