terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Top 10 Livros, Parte I

ToEu gosto muito de ler. E gosto muito de ter livros e marcar as principais passagens de cada um deles, para ler depois e usar as citações.
Devido a este fato, decidi fazer uma lista dos melhores livros que eu já li, sem qualquer pretensão de ser um guia literário o coisa parecida. São os que EU mais gostei, que mais me tocaram a alma. Alguns por eu ter me identificado com algum dos protagonistas, outros pela história excepcional. Mas todos conseguiram me manter preso neles por um bom tempo e todos eles eu releio e toda vez que releio, me impressiono com coisas diferentes.

Bom, sem mais palavrório, eis a lista. Como ficou muito grande, eu preferi por separá-la em duas partes. Em ordem de preferência:

10. O Velho e o Mar - Ernest Hemingway

"É sempre assim. Morre-se. Não se compreende nada. Nunca se tem tempo de aprender. Envolvem-nos no jogo. Ensinam-nos as regras e à primeira falta matam-nos"
Este livro - que conta a história de um velho pescador que depois de 84 dias sem pescar nada consegue fisgar um peixe de tamanho descomunal - é um livro que muitos diriam ser chato - e, de certa forma, é mesmo. Mas isto não tira a beleza do livro, com a solidão do velho em alto mar, suas esperanças, alegrias e tristezas.

9. O Estrangeiro - Albert Camus

"Compreendi, então, que um homem que houvesse vivido um único dia, poderia sem dificuldades passar 100 anos numa prisão. Teria recordações suficientes para não se entediar."
O que mais se nota neste livro é a frieza com que o personagem principal, Mersault, encara a sua vida e tudo o que acontece à sua volta. Desde a morte da sua mãe - que acontece logo no primeiro parágrafo do livro - até a sua prisão e condenação à morte por ter matado um homem, Mersault recebe tudo com uma indiferença que beira o absurdo. Até que, no último momento de sua condenação, parece acordar desta espécie de torpor.

8. A Insustentável Leveza do Ser - Milan Kundera

"'Não poderia descobrir alguma coisa nova?'. Esta frase contém toda a condenação do homem. O tempo humano não gira em círculos, mas avança em linha reta. É por isso que o homem não pode ser feliz, pois a felicidade é o desejo de repetição."
Einmal ist keinmal - traduzindo porcamente: uma vez não é nada. Segundo o livro, em um resumo não muito bom, as situações por que passamos podem se repetir indefinidamente, devido a sua finitude frente a infinitude do tempo. Outro tema abordado neste livro é a dualidade peso/leveza, em que, como mostrado no livro, a leveza pode ser mais insuportável que o peso. Mas ainda o que mais me chamou a atenção foi o capítulo sobre a compaixão, em que o autor compara o sentido da palavra nas línguas germânicas e latinas. A história do livro se passa em Praga e Viena, e narra os problemas amoros de quatro pessoas: Tomás, Teresa, Sabina e Franz.

7. Crônica de Uma Morte Anunciada - Gabriel García Márquez


"Por último, fizeram as facas cantar na pedra, e Pablo pôs a sua junto a uma lâmpada para que o aço brilhasse. - Vamos matar Santiago Nasar - disse."
Santiago Nasar é acusado injustamente de ter desonrado Ângela Vicário e é assassinado pelos seus irmãos. Apesar de toda o vilarejo saber de que Santiago iria ser assassinado, nada consegue
salvá-lo. Neste livro, Gabriel García Marquez monta um quebra-cabeças com a história deste assassinato, através de testemunhos de diversas pessoas que estiveram com Santiago nas suas últimas horas. Um livro curto e direto, com um rigor quase jornalístico.

6. Pergunte ao Pó - John Fante

"Uma noite, eu estava sentado na cama do meu quarto de hotel, em Bunker Hill, bem no meio de Los Angeles. Era uma noite importante na minha vida, porque eu precisava tomar uma decisão quanto ao hotel. Ou eu pagava ou eu saía: era o que dizia o bilhete, o bilhete que a senhoria havia colocado debaixo da minha porta. Um grande problema, que merecia atenção aguda. Eu o resolvi apagando a luz e indo para a cama."
Um livro basicamente sobre a solidão. Conta a história do quase-escritor Arturo Bandini, que tenta escrever sobre a vida e o amor e se apaixona por Camilla, uma garçonete mexicana.

2 comentários:

  1. lendo este top seu me pergunto se ainda vale a pena ler Paulo Coelho.
    estou vendo seu blog pela primeira vez e adorei seus escritos parabens.
    gisdoors@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Bom... pra não dizer que eu nunca li Paulo Coelho, eu li as 3 primeiras páginas de um livro dele. Não aguentei.

    Então, na minha opinião, não. Não vale a pena. :)

    ResponderExcluir