quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Mau-humor de Fim de Ano

Eu odeio final de ano. Não gosto, não adianta. Mas isto também não tem nada a ver com aquele discursozinho que todo mundo faz, de que no final do ano somos todos hipócritas, que as pessoas são falsas ou que, então, o propósito do natal já foi esquecido - pra começar, natal não é uma data cristã: este dia vem de muito antes do cristianismo e sempre foi uma época de dar e receber presentes; então o propósito do natal é, realmente, dar e receber presentes. Ponto parágrafo.

Roubado Retirado do Depósito do Calvin.

Mas volto ao ponto. O fim de ano é uma das épocas mais sem sentido que existem. Ok, o natal até passa: tem toda uma tradição, que vem de muito tempo, e, além de tudo, tem presentes. Você tem que dar presentes, mas pelo menos recebe alguns também. Então tá, o natal está perdoado. Apesar de todas aquelas músicas insuportáveis de natal, o CD da Simone, as pessoas que você não gosta e que não gostam de você te desejando feliz natal... o natal está perdoado. O Natal passa, porque tem presente.
Mas o reveillon não dá pra perdoar. Não tem como. É uma data totalmente sem propósito, sem necessidade, onde nada acontece. Junta todo aquele povo de branco na praia, perto da meia-noite do dia 31. Quando chega a meia-noite, depois de várias contagens regressivas não simultâneas, algum infeliz estoura a champagne (ou melhor, o espumante: bem mais barato) e pronto. NÃO ACONTECE NADA! Todo mundo fica naquela coisa besta de 10, 9, 8, 7... 3, 2, 1 E NADA! Nada acontece: não vêm milhares de anjinhos com trombetas trazendo uma criancinha com uma faixa escrita 2009, nem, sei lá, uma nave alienígena da Federação da Luz trazendo uma mensagem de que vieram em paz, para nos trazer amor. NADA!
Voltamos ao final da contagem regressiva: 3, 2, 1! Estoura-se a champagne o espumante, tem um ou outro foguete explodindo, algumas pessoas perdem algum dedo, ou o braço e PARA QUE? Um ano novo chega, trazendo mudanças na vida das pessoas e blá, blá, blá. Não muda porcaria nenhuma.

Isto sem contar as tradições e simpatias de ano-novo. Isto é o mais divertido de se ver. Para se ter sorte no ano que vem, deve-se segurar uma taça de champagne com a mão esquerda, um prato de lentilhas com a mão direita e 12 uvas no nariz (é, como uma foca), e pular sete ondas, cantando cara-caramba-cara-cara-ô enquanto se bebe da champagne e se come as uvas e as lentilhas.
E ainda, para conquistar o/a seu/sua gato/a neste ano que se inicia, você precisa escrever o nome dele/a na sola do seu sapato ESQUERDO (se escrever no direito, já era) e, quando a meia-noite, você precisa subir uma escada pulando com este pé esquerdo, enquanto repete o nome do seu amor. E tudo isso, claro, usando uma cueca/calcinha vermelha; senão não funciona.

Mas enfim, pra não dizerem que eu sou um cara tão chato assim, existiram revellions que foram legais pra mim. Um ou dois, no máximo. E nos dois foi porque, quando estava toda a galera na praia, esperando os anjinhos trazerem a criancinha com a faixa, o tempo fechou e caiu AQUELA CHUVA! E daí foi gente correndo para todos os lados, tentando não molhar a roupa branca ou estragar a chapinha. Enfim... foi divertido! Mas só porque choveu e acabou com a festa.

Como diz a Raquel, no final do ano, dia 24 o meu mau-humor diz "Olá!". Mas assim que termina a São Silvestre, ele toma conta. E o pior que um coma alcoólico nem é uma opção viável nesta época do ano. Pelo menos não com a família.

3 comentários:

  1. RA-BU-GEN-TO.


    não é por ter sentido. mas é tão divertido ter alguma desculpa pra festar e fazer coisas idiotas tipo gritar 3 2 1 nada! haeuihaeuiaehuiea

    seu mau humorado rabugentinho!

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você já fez um post sobre o final do ano, porque meu humor vai tão, mas tão mal, que não consigo coordenar meus dedos para digitar mais do que meia dúzia de palavrões. Aproveitarei o seu.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a Aninha.







    ... Um abraço de consolação pra voce, Gu!

    ResponderExcluir